sábado, 30 de abril de 2016

Notícias 30 de Abril 2016

Falso Advogado Preso em Juazeiro BA 

Noticiado às 02:25, Deste Sábado, 30/04/2016. 



No início da noite de quinta feira (29.04), A Policia Militar visitou um residencial conhecido como Sovaco da Cobra. Que estar localizado entre os bairros Kidé e Jardim Flórida, em Juazeiro, BA. Após informações de tráfico de drogas no local, por uma pessoa conhecida como "Alex". Os Policiais montaram uma campana, e logo após entraram no bairro com duas viaturas, e encontrando a pessoa de Alex dos Santos Souza, natural de Remanso, BA. Com ele foi encontrada uma pedra de crack, informando apenas que seria um usuário, daí, levou a policia a sua casa, onde se efetuou uma busca minuciosa, e onde foi encontrada uma pedra grande de crack pesando 150 gramas, além de 04 relógios, 3 correntes, um par de brincos, um som automotivo, 2 celulares, 1 sensor de ré de veiculo, uma balança de precisão e 20 reais em espécie. No decorrer das buscas, chegaram no local dois homens se dizendo serem advogados de Alex. Porém, um deles estava bastante nervoso e exaltado, foi quando o policiamento pediu a devida identificação ao suposto homem da lei, mais ele se negou em identificar-se, apenas dizia que os policiais não sabiam trabalhar, e que somente apresentaria a carteira da OAB, para a Delegada, e se caso quisessem verificar, pegassem no seu bolso. Daí, os policiais deram voz de prisão ao suposto advogado por desacato, e o conduziu a Delegacia, juntamente com "Alex" e o material apreendido, sendo adotada as medidas cabíveis. 

Uma Loucura Fatal, Observem ! 

Noticiado às 00:01, Deste Sábado, 30/04/2016. 

Jovem morta em motel, no Pará, conheceu suspeito horas antes, diz irmã 

A cuidadora de idosos Camila Sarmento Pereira
de 24 anos, que foi encontrada morta em um motel, no Parque Verde, em Belém, no Pará, na última segunda-feira, conheceu o suspeito do crime horas de ser assassinada. De acordo com a irmã da vítima, a estudante Ana Carolina Sarmento, de 21 anos, Camila havia ido a uma festa, em um bar da região, e estava alcoolizada. Depois de ser deixada sozinha no local por duas amigas, ela partiu com um rapaz para o encontro íntimo.



Segundo Ana Carolina, a irmã havia saído de um plantão no dia anterior ao crime e aproveitou a segunda-feira de folga para se divertir com as amigas, como tinha o costume de fazer. Ela estava sem dormir.

— Ela saiu com as duas amigas para essa festa. Ela estava cansada. As bebidas (alcoólicas) devem ter tido efeito rápido. Segundo essas amigas, Camila conheceu esse rapaz por lá. Depois que as meninas foram embora, como ela já tinha conhecido esse homem, ela saiu com ele para o motel — disse a estudante, que se chocou com o crime: — O que aconteceu foi uma brutalidade, foi bárbaro.

A vítima foi encontrada despida e já sem vida sobre a cama de um dos quartos da Pousada dos Ventos, na última segunda-feira. Funcionários do estabelecimento foram até o local, depois de verem o rapaz que a acompanhava fugindo ao pular um muro. Apenas no dia seguinte, Camila foi identificada por familiares.

— A minha mãe viu uma reportagem sobre o caso e desconfiou que (a vítima) podia ser Camila. Eu não consegui falar com ela. Estranhei porque ela não tinha o hábito de ficar fora de casa muito tempo sem dar notícia. Então, fui no IML (Instituto Médico Legal) e identifiquei o corpo. Minha mãe está muito abalada. Todos estamos — disse Ana Carolina, que acrescentou: — Queremos que esse cara seja encontrado, queremos justiça. Foi uma crueldade o que fizeram.

Segundo a Polícia Civil do Pará, o suspeito tem idade entre 20 e 30 anos. Ele ficou com Camila no quarto por cerca de uma hora, antes de ser visto fugindo do local. O corpo da vítima foi submetido a um exame necroscópico, na manhã da última quarta-feira, no Instituto Médico Legal (IML) da cidade, que apontou a causa da morte como “asfixia mecânica”, ou seja, a jovem foi enforcada.

O enterro de Camila aconteceu no mesmo dia, no munício de Marapanim, no interior do Pará, onde tinha parentes.

Amigos pedem justiça

Em uma rede social, amigos lamentaram a morte. “Quem fez isso vai pagar”, comentou um deles, que acrescentou: “Ainda não acredito que você se foi”. Outra pediu: “Que a justiça seja feita. Ela era uma pessoa tão querida. Que triste!”. Uma outra amiga escreveu: “Gente, isso (assassinato) é exemplo que nunca podemos confiar em ninguém, mesmo tendo o rosto bonito e palavras doces!”.

O motel não possui sistema de câmeras de segurança, o que dificulta o trabalho de investigação. O caso segue sendo investigados por agentes da Delegacia da Marambaia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário